quarta-feira, 9 de março de 2011

Reuniões Mediúnicas Sérias

Reuniões mediúnicas sérias tem o caráter dos seus participantes.
Se os participantes são abnegados, fiéis, dedicados à causa e evitam o ciúme, as desavenças e discórdias entre eles, estas reuniões têm tudo para dar certo.

Os bons espíritos se aproximam destes ambientes e formam uma verdadeira ponte entre o mundo espiritual e o material. Espíritos recém desencarnados são socorridos, outros esclarecidos, as reuniões servem como um laboratório do mundo espiritual. Os médiuns sentem-se seguros com sua tarefa e o mediunato fica então à serviço de Jesus.

Reuniões frívolas servem para o divertimento ou mesmo para a satisfação dos seus participantes. Questões banais são levantadas, pergunta-se de tudo neste tipo de sessão e os espíritos que se prestam a este tipo de reunião não podem ser espíritos sérios.


Kardec enfatizou bem o caráter especial das reuniões frequentadas pelos espíritas verdadeiros e sinceros:

"...Mas, ao lado dos espíritas simplesmente crentes ou simpáticos à idéia, há os espíritas de coração, e nos confessamos felizes por havermos deparado com eles em grande número. Vimos transformações que poderiam ser rotuladas de miraculosas, recolhemos admiráveis exemplos de zelo, de abnegação e de devotamento, numerosos casos de caridade verdadeiramente evangélica que poderíamos, com justiça, denominar: Os belos traços do Espiritismo.

Vale aqui lembrar que as reuniões exclusivamente compostas de verdadeiros e sinceros espíritas, daqueles nos quais fala o coração, apresentam um aspecto muito especial: todas as fisionomias refletem a franqueza e a cordialidade. Nós nos encontramos à vontade nesses ambientes simpáticos, verdadeiros templos onde reina a fraternidade. Tanto quanto os homens, os espíritos aí se comprazem, e é então que se revelam mais expansivos, que oferecem as orientações e caráter mais íntimo.

Pelo contrário, nos ambientes onde se registram divergências de sentimentos, onde as intenções não são puras ou onde observa o sorriso sardônico e desdenhoso em certos lábios, onde se sente o sopro da malquerença e do orgulho, onde se teme a cada instante pisar ó pé da vaidade ferida, há sempre constrangimento, embaraço e desconfiança.
Em tais locais os próprios Espíritos são mais reservados e os médiuns muitas vezes vêem-se paralisados pela influência dos maus fluidos que sobre eles pesam como um manto de gelo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário